Resenhas


Depois de anos li Capitães da Areia e me surpreendi

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

Sempre quis ler alguns livros mais complexos e por que não começar pelos clássicos? Ao longo da minha adolescência ouvi muita gente falando bem de Capitães da Areia, inclusive sendo citada em referências musicais e outras obras artísticas. Demorei muito, mas finalmente li e posso dar minha opinião pra vocês.

Sinopse

O livro foi escrito em 1937 por Jorge Amado e fala sobre um grupo de meninos órfãos vivendo na Bahia em um armazém abandonado, onde a trajetória é marcada pelos furtos que faziam para sobreviver. Sem orientação direta de pessoas adultas, os Capitães da Areia ficaram conhecidos como os jovens mais perigosos de Salvador.

A começo de conversa, este não é um livro infantil. Trata-se de crianças porém recomendo a leitura aos maiores de 14 anos. Alguns acontecimentos na história são bem chocantes e conseguem ser digeridos melhor com um pouco mais de maturidade – que convenhamos não tem a ver com idade, né? Maaaas, por via das dúvidas vamos ficar com esta faixa etária mesmo, hahaha’.

A leitura foi mais leve do que imaginei. Confesso que aguardei mais um daqueles clássicos difíceis que somos obrigados a ler na escola. Talvez se eu tivesse contato com este livro na escola não teria gostado muito, mas com um pouco mais de maturidade é possível entender o tipo de crítica feita na narrativa.

O significado literário

Gosto deste tipo de leitura que nos faz pensar sutilmente através de problemas escancarados sobre as desigualdades vividas no Brasil. O contar desta história é uma chamada didática ao questionamento, e digo didática porque quando pensamos “o que acontecerá com estes garotos?” estamos avaliando não só a narrativa literária, mas também ativando o senso crítico.

Me peguei o tempo todo pensando “mas será que ninguém se importa?” e por isto esta obra tem tal importância na literatura brasileira. Ela foi um afrontamento no período em que foi lançado porque o Brasil passava por uma ditadura. Vários exemplares de Capitães da Areia foram queimados em praça pública como forma de silenciar os questionamentos e censurar qualquer tipo de discurso a favor da igualdade e liberdade.

Algumas descobertas dos Capitães de Areia eram tão simples e repletas de significados que me vi repensando a minha vida e os privilégios que tenho, desde uma casa pra morar, amor de mãe, ser correspondida em um relacionamento afetivo ou poder demonstrar minha fé religiosa sem medo. Tudo é um presente pra quem não tem nada.

Algumas amigas me disseram que este é o livro preferido da vida delas e eu não entendi porque. Depois de alguns meses compreendo a ressaca literária que venho tendo, hahahaha’. A obra é tão profunda e simples que deixou seu eco na minha rotina e eu nem percebi, mas ela esteve aqui.

Recomendo a leitura a todo mundo e peço encarecidamente que abram suas mentes para o que irão receber. É revoltante, é lindo, é provocador e com certeza um afrontamento inclusive nos dias de hoje.

Beeeijos e até a próxima! 😉

 

 

 

 

 

(mais…)


Bendito Seja – Haskell

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

Há algumas semanas fui convidada pela Haskell para um evento onde seria apresentado a nova linha Bendito Seja.

Tivemos aplicação de produtos, palestra sobre a nova linha, pudemos ouvir a dona da marca contar um pouco sobre sua história, participamos de um momento de perguntas e respostas e um coquetel muito bacana.

Palavras do fabricante

A Linha Bendito Seja é um sistema exclusivo de regeneração capilar fio a fio para os cabelos opacos, desvitalizados e processados quimicamente. A associação dos ativos, vinagre balsâmico e complexo de proteínas, proporciona restauração e proteção aos cabelos, aumentando sua resistência contra agressores externos e processos químicos.
Agora, você pode ter cabelos saudáveis e rejuvenescidos!

Bendito Seja - Haskell

A proposta é que você tenha um tratamento de salão todos os dias sem ter que sair de casa. E a linha atende a todos os tipos de cabelo.

O press kit conta com: Shampoo, Condicionador, Máscara de hidratação, Fluído proteico e Proteína capilar.

Dentro da latinha recebi versões mini do shampoo, condicionador e máscara de hidratação. Este kit é a mesma versão brinde da ação Haskell no Shopping Estação em Belo Horizonte. Em compras acima de x valor, você ganha um kitzinho na latinha, portanto, consulte o regulamento para receber a sua!

Shampoo e Condicionador

 

A consistência não é tão densa nem tão diluída. É perfeito para aplicação. O shampoo é perolado, o que dá a sensação de menos ressecamento. O condicionador facilita o desembaraçar por parecer uma “manteiguinha” fazendo o cabelo “derreter” logo na primeira aplicação.

Bendito Seja - Haskell

A máscara de hidratação dá a mesma sensação de manteiga. Pode ser aplicada no chuveiro em uma hidratação express de 3 minutinhos. O que facilita muito no dia a dia de quem não tem tempo de hidratações mais elaboradas.

O interessante é que a máscara também é ótima com as misturinhas que amamos. Tem como usar de várias formas diferentes para atender todos os tipos de cabelos e necessidades.

Inovação e praticidade

Até aqui você deve ter pensado “ok, nada novo sob o sol“. Mas aí é que você se engana! Como a linha foi pensada para contemplar todas as consumidoras, foi desenvolvido dois novos produtos: o fluído proteico e a proteína capilar.

O fluído proteico serve para proteger o cabelo principalmente do calor do secador – olá amantes do difusor! -, dá ao cabelo um toque suave e possui ação anti frizz. Contém vinagre balsâmico e complexo de proteínas.

Gostei muito de usá-lo na finalização mesclando com meu creme de pentear. Primeiro aplico o creme de pentear e depois dou algumas borrifadas, amasso os cabelos na fitagem inversa, e depois disso: difusor!

Bendito Seja - Haskell

Já a Proteína Capilar é também um complexo de proteínas que protege o cabelo da ação adstringente do shampoo reconstruindo a estrutura interna do fio. Ou seja, quem ama a técnica Low Poo vai amar a ação deste produto, assim como eu!

Gente, fiquei chocadíssima com o resultado do cabelo porque de todos os shampoos com sulfato que já usei na vida, o Bendito Seja foi o que menos ressecou meu cabelo. Combinado com a Proteína Capilar então… Foi o suficiente pra que meu cabelo ficasse limpo, porém sem ressecamento. Senti que a Proteína funciona também como uma “umectação“, sabe?

Resultado linha Bendito Seja da Haskell

A foto é do dia que lavei, e os day after’s seguem com a mesma definição. Confissão de amiga: tenho lavado meu cabelo uma vez na semana e os produtos da linha Bendito Seja seguraram mesmo o cabelon.

Sem contar o perfume! Cês sabem que amo tudo bem cheirosinho, né? O cheiro fica maravilhoso no cabelo. Recomendo demais!

O shampoo foi o primeiro a acabar em casa, a família aprovou os produtos. E é assim que eu sei que eles gostaram. Os preferidos acabam primeiro, hahahaha’.

E você, como seleciona seus favoritos?

Beeeijos e até a próxima! 😉

 

 

 

 

 

(mais…)


Girlboss: por uma outra perspectiva (alerta de spoiler) 3 comentários

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

Muito se ouviu falar sobre a nova série do Netflix, Girlboss. Não sei vocês, mas eu corri pra ler todas as resenhas a respeito, porque já estava louca com o tal livro rosa que viralizou o termo mais usado para representar o #girlpower ultimamente, e tudo isso falando de moda. Um prato cheio para mulheres modernas emponderadas, certo? Bom… Talvez nem tanto!

Ok, mas disso a gente sabe, né? Temos resenha do blog Fashonismo, Modices, e váaaarios outros apontando problemáticas muito importantes sobre a personalidade de Sophia e o inicio polêmico da Nasty Gal. Ainda sim, senti a necessidade de trazer meu olhar sobre a série e pontuar algumas coisas que percebi e ainda não foram citadas.

Sinopse

É baseado no livro de mesmo nome que conta a história real da criadora da marca de roupas Nasty Gal. Foi a pioneira no mercado de venda online há 10 anos atrás. Sophia Amoruso é uma garota de 23 anos vivendo em uma apartamento alugado em São Francisco e apesar das dificuldades financeiras, se recusa a voltar pra casa do pai.

Girlboss: por uma outra perspectiva

A menina que nunca cresceu

Sophia não aceita a vida adulta por ser ~aonde os sonhos vão para morrer. Mas que sonhos? Isso não fica explícito na série, então temos exatamente a impressão de uma menina mimada, orgulhosa, que não respeita ninguém. Ela tem o melhor dos dois mundos: entra nas baladas, faz o que “bem entende” da vida, mas quando dá problema, simplesmente varre para baixo do tapete e diz que não está pronta pra assumir tal responsabilidade.

O ponto aqui, é que eu vejo este comportamento muito presente na vida de nós millenials. Fomos ensinados que somos especiais, que devemos fazer o que amamos, que o importante é viver dos nossos sonhos custe o que custar.

Talvez por isso me identifiquei com as crises existenciais que ela tem, o orgulho em não querer voltar pra casa do pai, a falta de humildade em aceitar a amizade de pessoas honestas, o egoísmo em achar que apenas ela tem problemas e que o mundo gira em torno de si.

Todos nós em algum momento da vida já tivemos algum destes comportamentos – em maiores ou menores graus – simplesmente pela forma que fomos criados, pela facilidade que a internet trouxe e a mudança na auto estima de toda uma geração.

Sejamos honestos, o que Sophia faz no começo do seu negócio é o que a maioria de nós faríamos se tivéssemos as mesmas oportunidades – não podemos negar que a criatividade e o timming que foram perfeitos. O que não significa que esta postura esteja certa!

Por isso, o rodo da desconstrução é sempre necessário. Nós enquanto jovens adultos precisamos mudar nosso comportamento em relação a nós mesmos e aos outros. E esta mudança chega pra cada pessoa em uma circunstância diferente de acordo com o caráter, condição social e urgência na vida – não podemos desconsiderar que o caráter é algo construído socialmente, a gente não nasce assim.

Girlboss

Vá se foder, mundo!

 

O mundo capitalista e a internet

A diferença entre Soph’s e outros jovens empresários de classe média da vida real, é que seu problema de caráter foi revelado ao mundo. Vocês já pararam pra pensar em quantas empresas começaram fraudando, burlando, roubando, sendo desonestos? Talvez a gente não tenha a noção do quanto isso é real!

A problemática da mão de obra escrava, produtos superfaturados e desvalorização dos funcionários vem de longas datas. O capitalismo, mores, tá aí desde que o mundo é mundo. Sophia Amoruso não foi a primeira nem será a última a construir um império em cima da desonestidade.

Isto é o que chamamos de “white girl problem“. Sabemos que se esse mesmo comportamento questionável viesse de alguém pobre, ou negro, as consequências viriam a trem bala. Algo que não aconteceu com a branca, magra e rica protagonista da revolução na moda online.

 

Sobre a produção

Disto a gente não pode reclamar, né? A Netflix tem caprichado na qualidade do material audiovisual. O figurino está muito bonito, mas me perguntei algumas vezes se estava de acordo com o contexto, já que a série se passa em 2006 (juro que não lembro o que os adultos vestiam nessa época, hahaha’).

A trilha sonora está divertida e ainda temos a participação de Ru Paul pra deixar tudo dentro dos conformes.

Temos 13 episódios de 30 minutos e confesso que senti falta de ouvir mais sobre moda, o que as pessoas consumiam na época, quais as marcas importantes e as grandes referências. Pensem comigo! 10 anos de diferença entre o acontecimento e o relato é MUITA coisa! A última produção importantíssima no quesito referência foi “O Diabo Veste Prada” e isso já faz 11 anos. Ainda sim o filme é considerado um divisor de águas no mundo da moda.

 

Linha dramática e a personalidade de Sophia

Confesso que comecei a assistir procurando os defeitos que li nas críticas, e não se enganem, eles estavam lá! Mas ao longo da série me identifiquei muuuito com a protagonista e senti a humanização dela. E por se tratar de uma versão livre de uma auto biografia é muito fácil encontrar este lugar de identificação. Estamos falando de alguém que existe e continua escrevendo sua trajetória ao longo dos anos.

A série é como sobre tudo começou, portanto, não podemos julgar sua personalidade, até porque somos mutáveis (apontar problemáticas e julgar são coisas completamente diferentes. Inclusive, amo uma boa problematização e acho que neste caso foi super pertinente).

Achei a linha dramática boa porque vemos ao longo da narrativa o amadurecimento de Sophia. Dá pra sentir que ela não é a mesma menina que iniciou a série passando sermão sobre a vida adulta. E estes acontecimentos aparecem de forma gradual. Inclusive o guarda roupa dela vai evoluindo sutilmente.

Primeiro ela se desculpa com a mãe de Nathan pelo chilique do dia anterior (no episódio da entrega do vestido de noiva). Depois vem tentativa de ligação para o pai, dizendo que sentia saudade e que estava tudo bem (episódio em que ocasionou o rompimento da hérnia). O carinho em que trata o chefe na escola de arte quando vai se demitir (no episódio em que ela faz a cirurgia de hérnia).

A vez em que pensou em pedir ajuda ao seu pai e se estruturou de forma madura para que ele a ouvisse com seriedade (episódio em que ela faz as planilhas e inclui Shane no plano para apoiá-la). Cada momento em que ela reconheceu seus erros e venceu seu orgulho para pedir desculpas à Annie. O que dizer do pedido de desculpas/agradecimento à mocinha do outro brechó online vintage? (Não lembro o nome dela agora). Até chegarmos ao fatídico final onde reconhece que não teria dado um passo sequer se não tivesse ajuda daquelas pessoas ali presentes.

A história é bem amarrada e não deixa nenhum personagem pra trás, apesar do sumiço de alguns durante os episódios. O encontro final no lançamento é quando a gente percebe que aquelas pessoas realmente tocaram a vida dela.

Girlboss

Gostei da série, me identifiquei com o universo da protagonista, a vontade de correr atrás do seu sonho (apesar de ninguém saber qual é na real), de não se render e não aceitar envelhecer como todas as outras pessoas se conformando com um vidinha pacata – isso não significa que concordo com a forma que ela fez as coisas.

A série me incentivou a continuar garimpando em brechós, afinando meu senso de estilo, acreditando e investindo em consumo consciente – porque sim, me recuso a pagar 100 dólares em uma peça que foi comprada por 8 – e a valorizando das pessoas. Me fez refletir também que auto confiança não é maltratar ninguém ao seu redor, ou ter que diminuir alguém pra se sentir bem. É reconhecer seus pontos fortes e não desacreditar deles.

Eu entendo as problemáticas e privilégios que Sophia carrega ao longo da sua história, mas o comportamento dela em algumas ocasiões são muito próximos de várias pessoas da nossa idade. As mesmas pessoas que cresceram acreditando que poderiam tudo independente do que viesse, que precisariam passar por cima de tudo e todos para provar um ponto de vista e que não precisa de ninguém pra ser feliz.

A mesma geração que desconstrói relações porque não encontra ninguém “bom o suficiente” para satisfazer seus caprichos mesquinhos (isso pode virar um post pra outra hora).

Procurando os erros, encontrei alguns acertos. E talvez seja apenas a questão de tentar enxergar as coisas por outras perspectiva.

Créditos: Imagens retiradas do Tumblr.

Beeeijos e até a próxima! 😉

Assinatura Nattany Martins

 

 

 

 

 

(mais…)


A chance de dar um UP no seus cachos 2 comentários

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

No lançamento do TAG – Blogs de Minas do ano passado eu recebi o produto Ativador de Cachos e Fitagem Modeladora da linha Cachos UP da Barro Minas, e demorei esse tempão testando pra trazer esta resenha pra vocês.

Hoje falaremos do Ativador de Cachos!

Descrição do fabricante

Auxilia na modelagem dos cachos sem deixá-los com aspecto pesado. Controla o volume, disciplina e reduz o frizz, deixando-os macios, hidratados, sedosos e definidos.

Sobre o produto

A embalagem conta com 300 ml de produto e é indicado para cabelos ondulados (2c), cacheados (3a, 3b, 3c) e crespos (4a, 4b, 4c). Conta com o PH 4,5 e filtro solar. A melhor parte: o produto é liberado para low poo, portanto ele é livre de parafinas, óleo mineral, parabenos, sulfatos e corantes.

Custa em média: R$27,90

A consistência é ideal, nem muito aguado nem denso demais, mas fórmula é concentrada. Conseguimos perceber pelo cheiro e a forma que age no cabelo. O produto cumpre a promessa de auxiliar na modelagem dos cachos sem deixar com aspeto pesado.

Modo de usar

Aplique nos fios molhados após a lavagem e em seguida penteie ou modele normalmente.

Gosto de fazer a fitagem inversa, já que meu cabelo não tem tanto volume e ele perde mais ainda com a fitagem. Viro a cabeça pra baixo e faço o movimento de amassar e separar os cachos. Indico não aplicar muito perto da raiz para evitar o acúmulo de produto e consequentemente as caspas.

Gostei bastante da fórmula e performance do produto no cabelo. Acho que para o dia a dia é uma ótima opção no day after. Você pode dilui-lo em água dentro de um borrifador e utilizar para revitalizar os cachos num bad hair day.

O tamanho da embalagem é anatômica e facilita pra quem gosta de carregar na bolsa, ou também pode deixar em uma gaveta no trabalho, caso tenha algum imprevisto e queira dar uma ajeitada no cabelo.

Você curte deixar produtos para cabelo no ambiente de trabalho?

 


Em Algum Lugar Nas Estrelas – Resenha 3 comentários

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

Há um tempo atrás fiz um sorteio para comemorar um ano do blog. Escolhi dois livros legais que achei que vocês gostariam de ganhar e também que fossem coerentes com as coisas que conversamos por aqui. Um deles foi Azeitona do Bruno Miranda, o outro foi Em Algum Lugar Nas Estrelas da Clare Vanderpool.

Fiquei tão chocada com a belezura dos livros que acabei ganhando uma versão pra chamar de minha do Em Algum Lugar – vamos chamar assim pra abreviar?

Sinopse

 

O livro conta a história de Jack Baker, um garoto do Maine que se sente um pouco perdido. Seu pai é um militar muito empenhado em sua função, e sua mãe… Bom, sua mãe faleceu. No colégio militar ele conhece Early Auden, que tem um raciocínio nada linear a respeito do número Pi e histórias que os envolvem. Os dois vivem uma grande aventura na trilha Apalache em busca de um urso e encontram mais que procuravam.

Em Algum Lugar Nas Estrelas

A primeira coisa que me chamou a atenção com certeza foi a capa. A questão visual é muito forte e foi pensada para trazer afinidade com o tema a ser tratado, já que muita gente não conhece a respeito de constelações.

Comecei a leitura sem saber o que esperar e no decorrer do livro me surpreendi. A leitura é leve e a interpretação é fácil. A conexão entre os acontecimentos me prenderam do começo ao fim.

Gosto das narrativas infanto juvenis porque elas me fazem sonhar me tirando do lugar e me ensinando suas lições. Sabe aqueles personagens que você vê crescendo ao longo da trama e se apaixona? Foi o que aconteceu comigo!

Em Algum Lugar Nas Estrelas

 

A história…

 

Jack e Early sentem sozinhos e não confiam nas pessoas ao redor. Os garotos são confrontados o tempo todo a respeito do comportamento social e se sentem deslocados no ambiente hostil da escola militar. O momento em que se tornam amigos, é onde tudo começa a acontecer.

Jack se vê em um conflito gerado pelas diferentes lições que aprendeu com seus pais e o seu senso de lealdade e colocado a prova, até mesmo sua forma de enxergar a arte muda.

A amizade dos dois é fortalecida a medida que eles caminham em busca de respostas individuais e encontram oportunidades de se ajudarem mutuamente. Early ensina a Jack de forma sutil confiar em alguém e o surpreende mostrando que seus problemas não eram os únicos no mundo.

 

No inicio de cada capítulo vemos referência a uma constelação que “guia” a narrativa daquele capítulo. Por não conhecer sobre constelações, honestamente, não consegui fazer um ponto de ligação entre a história e as estrelas apresentadas. Mas acho interessante este tipo de mapeamento porque coloca o leitor completamente dentro da história, já que a questão visual ajuda a familiarizar com o que virá e trás o lúdico da situação em que os garotos estão vivendo.

 

Dentro da trama as estrelas tem a importância de guia-los nesta busca por respostas pessoais e aí percebemos que de formas diferentes eles aprenderam a ler as estrelas. Foram elas que os ligaram, que os ensinaram a encontrar o caminho de casa.

Com certeza este é um livro que vou carregar pra vida e a cada releitura encontrarei algo diferente. Se você também gosta de histórias de aventura que trazem grandes lições, você vai amar este livro!

Beeeijos e até a próxima! 😉

 

 

 

 

 

(mais…)


La La Land – Cantando Estações 3 comentários

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

Sempre fui apaixonada por musicais – inclusive tive a oportunidade de estudar por um semestre e amei – e quando ouvi falar pela primeira vez em La La Land, meus olhos brilharam!

A Lully de Verdade tem um vídeo maravilhoso onde ela faz a resenha do filme sem spoiler, e foi ali que decidi que esse seria o filme que dividiria o espaço de ouro no meu coração com Titanic.

Tom Hanks disse que de longe esse é seu filme favorito, e várias pessoas que detestam musical avaliaram o filme positivamente. Diante disto, não aceitaria ver o filme de uma forma diferente que não fosse no cinema. E agora, é a minha vez de dar os pitacos…

 

Sinopse

 

Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

La La Land - Cantando Estações

Não conheço muito de cinema, mas posso dizer que achei o roteiro incrível!

A história de amor é contada através das estações, e cada uma delas representa as fases dos personagens. A forma como eles se relacionam consigo e com o outro. Durante as estações eles se encontram, desencontram e alimentam sonhos.

A fotografia foi bem utilizada para facilitar a identificação destas estações que podemos chamar também de fases. O figurino é beeem colorido e passa um clima tropical. Apesar de nunca ter ido a Los Angeles, consigo imaginar o clima, o cheiro, a vibe da cidade só de ver a ambientação e os figurinos.

 

Emma Stone sapateando ao lado de Ryan é de deixar qualquer um de queijo caído, sem contar que o bonito não usou nenhum dublê de mão nas cenas em que toca piano. Isso significa que sim, ele aprendeu a tocar para interpretar este papel e arrasou!

O filme é na verdade, uma homenagem aos tempos de ouro de Hollywood e trás referências clássicas como Cantando na Chuva, Juventude Transviada, Amor Sublime Amor e muito mais!

 

Sobre a direção…

 

A direção de Damien Chazelle que teve destaque em Whiplash que teve cinco indicações ao Óscar. Agora com La La Land tendo 15 indicações ao Óscar, o bonito segue com 19 indicações para ganhar a estatueta. Demais, né?

Dizem que o roteiro de La La Land foi escrito antes de Whiplash, mas não foi tão bem recebido, diante das alterações que a produção gostaria de fazer, Damien decidiu deixar pra depois. E não é que a tática deu certo? É de longe um dos filmes mais lindos que já vi! Fiquei apaixonada com a complexidade dos personagens e a forma que eles desenvolvem suas relações, as músicas são incríveis, a coreografia, a fotografia… Foi tudo muito bem pensado. Estou completamente apaixonada!

E vocês, gostam de musicais?

Beeijos e até a próxima!


Linha Transição Capilar – Fina Flor

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

No ano passado fui convidada pela Fina Flor para conhecer sua nova Linha Transição Capilar. Depois de algum tempo testando, vim contar pra vocês o que achei dessa proposta inovadora.

Antes da Fina Flor, não encontrávamos linhas completas dedicadas a transição capilar. A marca percebeu que para voltar aos cachos, várias meninas costumavam garimpar shampoos, cremes, condicionadores, ativadores de cachos e através das misturinhas alcançar um resultado que considerassem agradável. Diante disso, dedicaram-se na criação de uma linha exclusiva, onde o costume da misturinha ainda é estimulado.

Proposta da marca

Para quem cansou da química (e dos químicos) e quer trazer de volta seu cabelo natural e seus cachos maravilhosos, a Fina Flor desenvolveu os produtos TRANSIÇÃO CAPILAR, com ativos superpoderosos, alta tecnologia e sem nada de petrolatos, silicones, parabenos, sulfatos ou EDTA. Para ajudar você a cuidar de seu cabelo com todo carinho, até seus cachos voltarem triunfantes! E para você continuar cuidando depois.

A caixinha que recebi contém 1 shampoo, 1 condicionador, 1 máscara de hidratação, 3 ampolas (hidratação, nutrição, reconstrução), 1 leite day after, 1 creme de pentear. Além desses mimos, recebi uma mochilinha e minha primeira fronha de seda *–*.

Linha Transição Capilar - Fina Flor

Shampoo: 500 ml – R$29,90 (em média)

Traz de volta a suavidade que seu cabelo precisa pra sair da química e voltar pro natural! Combate a queda, estimula o crescimento, cuida do seu couro cabeludo. (Nota do fabricante)

O shampoo é transparente e tem uma consistência mais líquida. Trás uma sensação de limpeza já na primeira aplicação, você não sente o cabelo ressecado e o cheiro é incrível!

Condicionador: 500 ml – R$29,99 (em média)

Muito brilho e nutrição, pra vencer a transição. Óleo de babaçu para dizer adeus ao frizz e hidratar. Manteiga de Murumuru para nutrir sem engordurar. Tudo de brilho e maciez. (Nota do fabricante)

O condicionador facilita o desembaraçar e realmente trás a maciez prometida. A consistência é um pouco pastosa, mas nada que comprometa a aplicação.

Linha Transição Capilar - Fina Flor

Day After: 250 ml – R$25,90 (em média)

O leite para day after é um show a parte. Muito cheiroso, tem a consistência de um leite mesmo e tem um alto poder de definição dos cachos. Minha família inteira ficou apaixonada: minha mãe, meu irmão, minha tia e até meu padrasto! Gostamos tanto que minha mãe comprou mais um para evitar briga, hahahaha’.

A única coisa que achei desagradável é o tamanho do pomp para aplicação, é muito pequeno e é preciso um pouco de paciência.

Creme para pentear: 500 ml – R$19,99 (em média)

A primeira coisa que chamou minha atenção foi o tamanho da embalagem de creme para pentear. Gente, nós sabemos o quanto cabelo cacheado gasta em creme, né? Achei esse ponto suuuuper positivo, já que geralmente o creme acaba primeiro 😀 .  A consistência é mediana, nem muito denso, nem muito líquido. Um dos produtos mais cheirosos da linha.

Linha Transição Capilar - Fina Flor

Creme de hidratação: 500 ml – R$32,90 (em média)

Manteiga de Murumuru, Óleo de Babaçu: Nutrição, proteção, hidratação e nada de frizz, de um jeito bem brasileiro!
Com a Máscara Base Transição Fina Flor é você quem faz a máscara que o seu cabelo precisa. Você escolhe qual aditivo ou aditivos, seu cabelo está precisado, mistura e pronto! Sua máscara personalizada! E o melhor é que você pode fazer a quantidade que você vai usar, assim da próxima vez, pode criar uma máscara diferente. (Nota do fabricante)

A máscara base me deixou um pouco desapontada por sua textura. É muito densa e sem os óleos e aditivos, fica meio impossível de usar. Sozinha ela não tem um bom desempenho nem facilita o desembaraçar. Já com os óleos, cumpre bem sua função.

Linha Transição Capilar - Fina Flor

Aditivos: 60 ml – R$9,90 cada (em média)

Os aditivos foram para mim como uma boa novidade. Geralmente, as linhas completas envolvem apenas shampoo, condicionador, creme de pentear e creme de hidratação. Neste caso, os aditivos podem ser usados com a máscara base da linha ou outros cremes de sua preferência. Assim como podem ser misturados a outros aditivos.

Considerações finais

De forma geral gostei muito da novidade apresentada pela Fina Flor. É bom ver que as marcas pensam na gente, né?

A melhor parte é que além de muito cheirosos, TODOS os produtos são liberados para Low Poo. Aêeee!!! Assim todos os gostos são contemplados.

Chega daquela saga de ler rótulo pra saber se cada produto é liberado ou não. Podemos dormir tranquilamente economizando tempo nas “burocracias” e gastando mais tempo cuidando de nós mesmas.

Linha Transição Capilar - Fina Flor

Outra coisa que a amei nesta linha é que os produtos podem ser facilmente combinados a outros e introduzidos na nossa rotina. As embalagens são modernas e bem anatômicas. Os bicos dosadores são práticos e facilitam na aplicação. Toda a linha favorece a definição dos cachos, já que no processo de transição é isso que as pessoas mais procuram. No fim das contas, a linha cumpre bem o que promete, e a gente ama!

Essa linha ganha nota 9 em 10!

E aí, o que acharam?

Beeeijos e até a próxima! 😉

 

 

 

 

 

(mais…)


Ativador de Cachos – Meus Cachos Embelleze

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

Há um tempo atrás fui convidada para a confraternização de 1 ano do Clube de Blogueiras Negras de BH. Além de comemorar esse momento super lindo com as meninas, recebi alguns mimos. Um deles é esse Ativador de Cachos da Embelleze no qual falaremos hoje.

Ele se tornou um coringa na minha rotina por diversos motivos. Com funções variadas, o creme se mostra versátil, podendo ser usado como creme de pentear, reconstrutor, day after, fitagem… É bom ter várias opções, né?

Especificações

O produto é indicado para cacheadas 3ABC, e crespas 4ABC. Contém protetor solar, pantenol e queratina. Por causa do fator de proteção é muito indicado para o verão, onde temos contato com praia, piscina e os raios solares estão cada vez mais fortes.

Por conter parafina líquida, não é liberado pra low poo. A embalagem é prática com bico dosador e contém 300 ml.

Características

A consistência é um pouco líquida, mas é concentrado. O cheiro é encantador – vocês sabem pelas outras resenhas que amo produtinho com cheiro bom, né? -, todas as vezes que uso, as pessoas elogiam o cheiro do meu cabelo.

Ativador de Cachos Embelleze

Por ser concentrado, costumo diluir com um pouco de água em um borrifador quando uso no day after. A promessa de ser um ativador de cachos funciona muito bem, meus cachos ficam definidos e brilhantes 🙂 Lembrando que o produto trás a promessa da reconstrução, sendo assim ideal pra quem segue o cronograma capilar.

Nas lojas o produto custa em média de R$10,00 à R$15,00.

Este ano teremos resenhas de produtos variados, vou tentar fazer pelo menos uma por mês, assim ficaremos por dentro das novidades, ok?

Beeeijos e até a próxima! 😉


Shampoo para crescimento Minas Flor

produtoHello Pipol, tudo bem com vocês?

Meses atrás na Professional Fair, recebi da Minas Flor o shampoo para crescimento Pantenovil A. Esse é o tipo de produto que precisa de teste prolongado antes de resenha, afinal, a gente só sabe se dá certo depois de usar bastante, né?

Então sem mais delongas, vamos as considerações!

Sobre o produto

Desenvolvida para um tratamento mais profundo dos cabelos, a linha Pantenovil A possui formulação rica em Vitamina A, Pantenol e Ômegas 3, 6 e 9. Favorece o crescimento e tratamento dos fios, além de ajudar no fortalecimento e espessamento do cabelo, mantendo-os macios e brilhantes.

A linha conta com microesferas ricas em vitaminas, que auxiliam no crescimento dos fios. Elas hidratam e repõem os nutrientes dos cabelos, combatendo as pontas duplas, devolvendo maciez, brilho e maleabilidade.

Pantenovil A - Minas Flor

Minhas considerações

Fui cativada pelo cheiro gostosinho e a consistência cremosa. O bico dosador ajuda na hora da aplicação. Sem bagunça!

O frasco e apresentação do produto tem aspecto mais profissional.

consistencia-pantenovil-a

O uso contínuo do produto ressecou um pouco o meu cabelo, então tenho duas sugestões pra quem deseja testar:

  1. Reforce na hidratação.
  2. Intercale com outro shampoo, assim seu cabelo tem um “respiro” entre uma aplicação e outra.

Acredito que isso aconteceu comigo porque o produto não é liberado para Low Poo. Geralmente o componente Sodium Laureth Sulfate faz isso com meu cabelo.

No quesito crescimento, o produto cumpre com a promessa.

Shampoo para crescimento Pantenovil A

A primeira foto foi tirada em Abril deste ano. A segunda foi tirada semanas atrás nas minhas férias. Inclusive, não levem em consideração o frizz. Eu estava na praia e todas sabemos que areia e água salgada mudam o aspecto do cabelo. É pra vocês compararem o tamanho apenas. Combinado?

Ainda restam uns 3 dedos do frasco para serem usados, mas fiquei satisfeita com a performance do produto no quesito comprimento. Não deixou a desejar.

E vocês, o que acharam? Usariam um shampoo para estimular o crescimento?

Beeeijos e até a próxima! 😉

Assinatura Nattany Martins

(mais…)


Batom Cacau da Ricosti e o bocão Kylie Jenner

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

Tá tendo chuva de resenha nesse bloguinho, é isso mesmo produção? Sim! É isso mesmo! A tia aqui juntou tudo o que queria mostrar pra vocês e começou a colocar a mão na massa. Quer exemplo melhor que esse batom cacau da Ricosti? Tem uma vida que o comprei, prometi resenha e desapareci nesse mundão de meu Deus.

Mas hoje eu estou aqui pra falar tudo pra vocês!

Bocão Kylie - Batom Cacau da Ricosti

Bocão Kylie – Batom Cacau da Ricosti

Fui motivada a comprar esse batom por motivos de: queria um bocão Kylie Jenner. Só que todos os batons que encontrei eram o meu olho da cara. E Ricosti a gente sabe que é só amor, né?

O marrom do Cacau é mais abertinho, cor de chocolate mesmo. Mais escuro que marrom caramelo e mais claro que marrom terra.

Teste na pele - Batom Cacau da Ricosti

Teste na pele – Batom Cacau da Ricosti

Achei o Cacau um pouco mais cremoso que os outros batons da Ricosti, por isso, mais demorado pra secar e craquela o centro do lábio mais rápido se comparado com outras cores.

Mas pra ser honesta? Isso não diminui meu amor por ele. Uso sempre que tenho oportunidade. Dá pra ver pela embalagem gasta, né?

Onde eu passo usando esse batom recebo elogios.

Batom Cacau da Ricosti Batom Cacau da Ricosti

Se você assim como eu, quer a magia do bocão Kylie Jenner e não encontra muita alternativa em conta. Indico o batom Cacau da Ricosti pelo custo benefício. O que são algumas retocadas diante de tanta maravilhosidade?

Os batons da marca são tabelados entre R$10,00 golpinhos e R$20,00 golpinhos dependendo da loja.

E aí, acham que vale a pena investir nesse tom de batom?

Beeeijos e até a próxima! 😉

Assinatura Nattany Martins