Arquivos diários: 7 de agosto de 2017


7 lições que aprendi em 7 temporadas de Gilmore Girls 5 comentários

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

Sempre ouvi falar muito bem do seriado Gilmore Girls. Quando a Netflix liberou a season finale ano passado, fiquei doida para maratonar tudo. Minha lembrança desta série é bem remota, já que ela foi exibida no SBT nos anos 2000 com o nome de “Tal Mãe, Tal Filha”.

Sinopse

O enredo da série é de se apaixonar! Lorelai Gilmore está em sua melhor forma e viciada por cafeína. Sua família vem da alta sociedade na cidade de Hartford. O que eles não esperavam é que Lorelai engravidasse aos 16 anos e fugisse para Stars Hallow na intenção de criar sua filha Rory – Lorelai Gilmore III para os menos íntimos – sozinha.

O acontecimento foi um choque para família já que ela não se casa com o pai da criança, não vai para faculdade e tem uma vida fora dos padrões desejados por Emily e Richard – pais de Lorelai.

A série começa quando Rory tem 16 anos – a idade que a mãe engravidou – e Lorelai tem 32. A relação das duas é baseada na amizade, amor e respeito; beeem diferente de Lorelai e sua família. A oportunidade de mudar esta situação aparece quando Rory vai para Chilton – uma escola particular –  e Lorelai se vê obrigada a pedir um empréstimo para os pais. A condição para o empréstimo? Jantares todas as sextas, reunidos como só uma família poderia ser.

“Rory. Bom… Lorelai tecnicamente.”

Meu diário Gilmore

“Ela estava deitada no hospital pensando como os homens nomeiam seus sucessores o tempo todo, então porque uma mulher não poderia?”

Como toda boa série, a gente se apega, morre de amor e aprende um tanto. Com nossas meninas não poderia ser diferente.

Lição 1: Ter a mãe como melhor amiga é a melhor coisa no mundo!

O que mais me chamou a atenção na série é como Lorelai tenta construir com sua filha o tipo de relação que nunca teve com seus pais, e ela consegue! Me identifiquei demais porque tenho essa relação maravilhosa com minha mãe.

Foram vários momentos que me peguei pensando ao longo da série “Meu Deus, como somos Gilmore!” e este pensamento alimentou mais ainda e me fez enxergar o quanto essa relação com a minha mãe é importante pra mim. Minha princesa tinha 19 quando engravidou de mim, então não estamos tão longe da realidade Gilmore, né? 😉

Lição 2: Existe um jeitinho Gilmore que consegue de tudo um pouco.

Rory me inspirou por gostar muito de leitura, assim como eu. E cara, ela dava conta de tudo! Chilton, Yale, do namoro, os momentos com a mãe… Sempre que penso na quantidade de livros tenho pra ler, séries pra atualizar, jobs pra entregar. Eu paro e penso: Se a Rory deu conta, eu também dou!

Já Lorelai, assim como Emily tem uma incrível agilidade e poder de argumentação. Quantas vezes vimos as pessoas cedendo às vontades delas por não saberem dizer não a tanto falatório argumentativo? Elas conseguem tudo o que querem. e a gente quer aprender como faz essa magia Gilmore acontecer. 

Não posso desperdiçar mais nenhum tempo e energia com arttifícios e besteiras.

 

Lição 3: Até as pessoas mais fortes precisam de apoio.

É uma grande ilusão acreditar que quem tem muito pra dar, nunca precise receber. Lorelai pôde contar com várias pessoas ao longo da sua vida e elas a sustentaram nos vários momentos de dificuldade.

Às vezes a gente deixa de dar uma palavra amiga a alguém por pensar que essa pessoa é forte o suficiente e que sabe se virar sozinha, provavelmente isto é verdade. Mas a gente só se fortalece através do apoio das pessoas que nos amam. 

Lição 4: O boy lixo pode acontecer pra todas nós!

A gente se apaixona e aí pronto! Não há uma viva alma que nos aconselhe, que consiga convencer que não vale a pena insistir nesse romance fadado ao fracasso. O fato é que relacionamentos só vão adiante – principamente se o casal for muito diferente um do outro – se os dois forem bastante honestos.

Há teorias controversas sobre os namorados de Rory, mas pra mim o mais danoso foi o Jess – apesar do Logan não ser tão santo assim. Pelo menos o Logan entrou na relação de cabeça, coisa que o Jess não fez!

Mas vamos combinar, cada pessoa tem seu tempo de maturidade e algo que é ruim agora pode nos ensinar bastante e nos fazer crescer.

Lição 5: Nem sempre temos certeza do futuro.

Se a Rory – que era um exemplo de menina – teve dúvidas quanto suas escolhas, que dirá nós meros mortais!

Às vezes nossas maiores certezas se tornam pesadelos e então precisamos de tempo para respirar e recalcular os objetivos. Os sonhos podem, e vão, se transformar ao longo do caminho e cabe a nós ter maturidade pra saber qual rumo tomar.

Lição 6: Podemos – e devemos – dar o primeiro passo para reconciliação.

Que Emily e Lorelai nunca tiveram uma boa relação, disso todos nós sabemos, mas em alguns momentos vimos as duas se apoiando e dando um passo – ainda que pequeno – para a reconciliação.

Lorelai precisou entender o ponto de vista da sua mãe para então recolher sua postura passiva-agressiva.

Existem momentos na vida que as coisas só vão melhorar se a gente mudar de postura. Esperar compreensão dos outros sem se permitir compreender é um erro rude!

Lição 7: Valorize suas amizades!

Foi lindo ver a Rory acompanhando a Lane e tendo seu apoio até o fim das 7 temporadas. Ainda que a vida as levasse para caminhos diferentes, elas não abandonaram a amizade.

A forma que elas se descobriram e compartilharam esses momentos foi lindo e é aquele tipo de amizade que as duas poderiam ficar meses sem se ver, que os reencontros eram intensos e cheios de verdade.

Foi triste chegar ao fim da sétima temporada sem saber o que aconteceu com Rory e todo o lance da Lorelai com o Luke. Por isto a Netflix nos presenteou com o especial “Um Ano Pra Recordar“. Ouvi muitas críticas ao especial, mas confesso que fiquei super curiosa e ele não vai passar batido. É a próxima etapa para despedir das meninas Gilmore.

E pra tentar amenizar meu sofrimento tem a dica bônus que vai comigo para o resto da vida.

Lição Bônus: Uma boa xícara de café tem seu lugar!

Nunca fui o tipo de pessoa viciada em café – na verdade fui daquelas crianças leite com toddy – já que minha gastrite não me permite tanta cafeína. Mas todas as vezes que eu via Lorelai e Rory falando de café eu sentia vontade de apreciar um pouquinho.

Depois de algumas tentativas passei a admirar os momentos com café, e confesso que me sinto parte da família quando encho minha xícara. Sempre que sinto aquele cheirinho tenho a certeza que aprendi e cresci muito com nossas Gilmore Girls.

Você sabe, algumas pessoas costumam dizer que café no meio da noite pode tirar seu sono.

Mas como diria Lorelai a Rory: “As pessoas são burras.”

Beeeijos e até a próxima! 😉

 

 

 

 

(mais…)