Arquivos diários: 2 de maio de 2017


Sobre as orações que eu deveria fazer antes de sair de casa 4 comentários

Hello Pipol, tudo bem com vocês?

Confesso que tenho me sentido agitada. Uma inquietação que me consome da cabeça aos pés como se o mundo fosse acabar amanhã. Eu paro, respiro fundo, tento me acalmar, mas as minhas mãos tremem. Faço orações, mas ninguém parece ouvir.

Eu escolhi me fechar. Me culpo por falar demais e contar minha vida a todo mundo. Ser expansiva nem sempre é um presente. É uma tortura tentar me calar diante dos acontecimentos da vida. Mas eu tento manter minha mente positiva.

Parece que alguém lá em cima está em greve de silêncio onde a regra é só observar pra ver até onde consigo ir sozinha. É o hoje que nos prepara para o tão sonhado amanhã, portanto, preciso mesmo aprender a me virar sozinha. Temos que estar firmes quando nosso sonho megalomaníaco é dominar o mundo.

Talvez seja essa visão de uma geração millenium que nunca conquistou o que achou que merecia, talvez seja falta de resiliência mesmo e um pouco de falta de preparo para encarar o mundo real.

Alguém me diz pra orar antes de sair de casa, talvez essa seja a resposta para o meu desespero mais profundo. As orações acalmam a alma, nos fortalece, nos ensina a resistir e nos prepara.

Oração após oração me sinto mais perdida, desgastada, falando sozinha. E então desato a falar de mim para pessoas que não se importam, enquanto as que me apoiariam são privadas de tanta tristeza que venho alimentando. Grito para o nada, me calo para o tudo. E a alma sufoca.

Passei da fase de conversar com meus amigos e encontrar poesia em cada canto. Talvez eu esteja deprimindo, talvez não veja mais a alegria de viver, talvez eu esteja absorvendo energia do lugar aonde estou, talvez seja só um dia ruim. Me pergunto: Por quanto tempo um pessoa resiste lutando sozinha? Talvez não muito tempo.

Estou fraca, o tempo está esgotando e eu já tentei todos os antídotos mágicos, nenhum deles funcionam pra mim. Respiro fundo. Tento de novo. Me sinto só.

Ás vezes penso em morte, na maioria das vezes penso em vida, e na vida que eu gostaria de conquistar mas não encontro forças. Preciso de ajuda.

Meu corpo arrepia de baixo a cima e sinto aquela presença. Aquela que me guarda, me ajuda, me ensina, me direciona… Não estou só. Alguém me observa. Talvez seja o mesmo que escuta minhas orações e as guarda.

Quando a tristeza passa vejo que era mais um dia ruim. Um dia daqueles! Talvez eu só tenha que pensar mais um pouco sobre as orações que eu deveria fazer antes de sair de casa.

Beeeijos e até a próxima! 😉

 

 

 

 

 

(mais…)